11 de março de 2016

“Juventude Conectada”

Segundo pesquisa da Fundação Telefônica, mais de 40% dos jovens usam a internet quase diariamente para pesquisas relacionadas ao estudo; para 42%, o celular é o principal meio de acesso à web. “O modo como me informo é diferente do que me sentar em frente à TV e aceitar todo aquele conteúdo. Na internet, você precisa buscar a informação”, disse um deles.
A pesquisa “Juventude Conectada” de 2014, coordenada pela Fundação Telefônica Vivo e realizada em parceria com o IBOPE, o Instituto Paulo Montenegro e o Núcleo das Novas Tecnologias da Comunicação Aplicadas à Educação Escola do Futuro-USP, traz informações úteis para entender especificamente os jovens brasileiros na era digital.
Segundo o estudo, que envolveu entrevistas com 1.440 jovens de 16 a 24 anos das cinco regiões do país, o telefone celular é o principal meio de acesso à internet para 42% dos entrevistados de todas as classes socioeconômicas, seguido pelo computador de mesa (33%), computador portátil (22%) e tablet (3%).
O celular aparece como opção preferencial por permitir a conexão à internet a toda hora e em qualquer lugar, característica marcante nessa geração. “É mais acessível para todo mundo. O pessoal está mais ligado nessa coisa de querer saber o que está acontecendo”, disse um jovem consultado.
A forma como usam o tempo na internet também revela muito sobre essa geração: em primeiro lugar aparecem atividades de comunicação (redes sociais, mensagens instantâneas, e-mails). Até 90% dos jovens fazem uma dessas atividades mais de uma vez por dia, diariamente ou quase todos os dias. Em seguida aparecem atividades de lazer, seguidas por leitura de jornais e revistas e busca por informações em geral. Educação e trabalho aparecem em quarto lugar.
“A internet se consolidou como importante suporte para a consulta escolar pelo jovem brasileiro, tanto para a realização de pesquisas, tarefas e trabalhos quanto para a obtenção de informações sobre cursos e atividades educativas e de capacitação”, diz o relatório.
“A prática de realização de cursos online já é uma realidade no cotidiano da juventude brasileira conectada e aponta para uma tendência (22% declara fazer ou ter feito). Pesquisas para estudos e trabalhos da escola ou da faculdade são atividades praticadas mais de uma vez ao dia, diariamente, ou quase diariamente por 43% dos jovens entrevistados.
Já buscar informações online sobre cursos revelou-se prática cotidiana, ou quase, para cerca de um terço [deles]”. As enormes possibilidades de se ter informações sobre outras culturas na internet também são muito valorizadas pelos jovens – e muitas vezes chegam a despertar o interesse pelo aprendizado de línguas estrangeiras.
Também é fácil encontrar pessoas com interesses similares, participar de grupos de discussão e ter acesso a conhecimentos e pontos de vista que jamais conheceriam sem a internet. É interessante notar, porém, que os jovens internautas têm consciência de que o recebimento de informações pela internet não é algo totalmente passivo e exige deles um trabalho de apuração.
Um dos entrevistados explicitou isso da seguinte forma: “Tenho acesso a diversos conteúdos, sejam eles parciais e imparciais, sendo eu o principal encarregado de apurar as informações”. Outro completou: “O modo como eu me informo é bastante diferente do que simplesmente me sentar em frente à TV e aceitar todo aquele conteúdo. Pela internet, você precisa buscar pela informação, apurar fontes e tudo mais”.

BIBLIOGRAFIA
PRADO, Ana. Entendendo o aluno do Século 21 – E como ensinar a essa nova geração. Geekie – Educação & Evolução, Junho/2015.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário